Educação

Galeria de Fotos Educação

DIRETORIA DE ENSINO - REGIÃO DE MIRANTE DO PARANAPANEMA

 

A DELEGACIA (EM 2003 – DIRETORIA DE ENSINO DA REGIÃO) DE MIRANTE DO PARANAPANEMA foi criada pelo Decreto nº 25.000 de 16.04.1986 – publicado a 17.04.1986.

FRANCO MONTORO, Governador do Estado de São Paulo no uso de suas atribuições legais, com fundamento no artigo 89 da lei nº 9.717 de 30 de janeiro de 1.987 e diante da exposição de motivos do Secretário da Educação:
INSTALAÇÃO: Decreto 26.581 de 05 de janeiro de 1987 – publicado a 06.10.1987.

Compatibiliza as Regiões Administrativas com as regiões do Governo criadas pelo decreto nº 22970 de 29.11.1984, na divisão Regional de Ensino de Presidente Prudente.

Delegacia de Ensino de Mirante do Paranapanema: 1-) Estrela do Norte 2-) Mirante do Paranapanema 3-) Sandovalina 4-) Tarabai 5-) Teodoro Sampaio.

 

Inicio de funcionamento: 09.03.1987.

QUADRO DE FUNCIONÁRIOS EM 1987

Profª Leoni Joppert de Sousa – Delegada de Ensino

Profª Edith Caivano Joppert Alencar – Assistente de planejamento

Lídia dos Reis Chelli – Chefe Administrativo

Odete dos Santos Jorge Aguiar – Setor Adiantamento

Maria do Socorro Oliveira – Setor de atividades complementares

Profª Alzira Tomas da Silva – Supervisora de Ensino

Profª Aquemi Moryama Canevari – Supervisora de Ensino

Profº Antonio Sergio Corral – Supervisor de Ensino

Profº Tateaki Ykeda - Supervisor de Ensino

Maria Elisabete de Sousa Calado – Chefe de Finanças

Profª Clélia Marino – Recepcionista

Profª Aparecida de Sousa Tassinari – Arquivo de Legislação

Profª Maria Pena dos Santos – Finanças

Profª Maria Célia Barreto – Coordenadora Nucleação Rural

Profª Mercedes Maria da Silva – Coordenadora Oficina Pedagógica

Epifâneo dos Santos Netto – Encarregado do Setor Material e Patrimônio

Genivaldo Antonio Nascimento – Encarregado Setor Vida Escolar

Maria Ângela Rangni – Encarregada Setor Experiência Pessoal

Gilberto Siqueira Ribeiro – Escriturário

Maria Aparecida de Sousa Bazan – Escrituraria

Ivanilde de Carvalho Rodrigues – Auxiliar de Serviços

Maria Aparecida da Silva Paixão – Auxiliar de Serviços

Em 2003, a Diretoria de Ensino – Região de Mirante do Paranapanema compreende nove 44 escolas localizadas em nove Municípios do Pontal do Paranapanema: Rosa; Euclides da Cunha Paulista; Teodoro Sampaio; Mirante do Paranapanema; Sandovalina; Tarabai, Pirapozinho; Estrela do Norte e Narandiba. Tem como Dirigente Sebastião Canevari e como Assistente de Planejamento, Mercedes Maria da Silva.

EE MARIA APARECIDA DE AZEREDO PASSOS

 

CRIAÇÃO

 

Através do decreto nº 17.698/47, de 08 de dezembro de 1971, com seis salas e 12 classes. Recebeu o nome de 2º GRUPO ESCOLAR DE MIRANTE DO PARANAPANEMA e pertencia a Delegacia de Ensino de Santo Anastácio.

PRIMEIRA DIRETORA: Odete Campagnolo Rapchan.A professora Joana Joana Lorenzetti foi diretora esta escola no período de 1972 a 1985.

Nos últimos anos a escola vem passando pelas mãos de vários diretores, como: Éster Garcia, Marisa Bezerra e Clineu. Atualmente o diretor é o Prf. Gilberto M. Ito tendo como Coordenador Pedagógico o Professor Alberto Dias de Souza.

Pela Resolução da Secretaria da Educação nº19/76, e considerando a implantação da Lei nº 5997/71 – LDB – a escola foi transformada em Escola de Primeiro Grau de Mirante do Paranapanema.

De 1972 a 1975 a escola funcionou de 1ª à 4ª Séries (manhã e tarde). De 1976 a 1996, de 1ª à 4ª Séries (manhã, tarde e noite) De 1977 a 1998 de 5ª à 8ª Série (noturno) e Suplência do Ensino Fundamental. De 1999 a 2001 de 5ª ª Séries e de 2002 a 2003, de 5ª a 8ª, Ensino Médio e Suplência do Ensino Fundamental.

Média anual do número alunos matriculados : Nas décadas de 1970/80: 549; 1990/00 : 950 e neste ano de 2003:

De acordo com o decreto 7928 de 14/05/1976 a escola passou a denominar-se Maria Aparecida de Azeredo Passos, conforme publicação no D.E. de 15/06/1976. A diretora nessa época era Elza de Almeida Sás.

Sua Patronesse: Profa. Maria Aparecida de Azeredo Passos, nunca lecionou em Mirante do Paranapanema. Ela morreu de acidente quando ia para a Faculdade Estudar.

A grande conquista da escola nos últimos anos foram a reforma do prédio e a cobertura de sua quadra de esportes. O pedido para a cobertura surgiu, através de um pedido dos alunos do Projeto "Recuperação nas Férias", de Janeiro de 2001. A iniciativa e coordenação dessa reivindicação à Secretaria da Educação, via Diretoria de Ensino, foi da Profa. Edith Joppert, que trabalha como professora nesse Projeto.

 

EE. "PROFA. JOANA COSTA ROCHA".

 

Endereço: Joaquim Juca de Góis, no. 1882 - CEP. 19.260.000

Fone: (018)2 91-1188

Localidade: Mirante do Paranapanema - Município: Mirante do Paranapanema

Diretora: Prof. Luiz Antônio Góis

Vice-Diretora: Altiva Barbosa Lima

 

Decreto de Criação do Grupo:

Por decreto de 2, publicado em 04/08/1949, foi criado de acordo com o artigo 201, do Decreto no 17.698, de 26-11-1947, o Grupo Escolar do Bairro Palmital, de 2o estágio, em Santo Anastácio, com 4 classes mediante a anexação das 1a e 2a escolas mistas do Bairro Palmital, ambas de 2a estágio , no mesmo Município. Uma das primeiras professoras, ainda em caráter a em estágio probatório, foi Theresinha Antônio

Instalação do Grupo

A vista do decreto acima transcrito, foi instalado o Grupo Escolar do Bairro Palmital, sob a presidência do senhor Inspetor Escolar da 3a região, senhor Prof. Washington José Cavalcante de Albuquerque, com poderes para isso, acompanhando-o os senhores professores, Arlindo Rodrigues de Oliveira, então Prefeito Substituto de Santo Anastácio, senhor Auxiliar de Inspeção, prof. José de Oliveira Camargo, e outros professores substitutos do estabelecimento Isso aconteceu justamente em 10 de agosto de 1949, com 82 alunos masculinos e 73 femininos, num total de 155, com freqüência média de 38,75% por classe.

NOVA DENOMINAÇÃO

Por decreto de 18 publicado D.O.E. em 20/02/1955, o nome do Grupo Escolar do Bairro Palmital, foi mudada para Grupo Escolar de Mirante do Paranapanema. .

Pelo Decreto no 40.146 de 26/05/62, publicado a 27/05/62, o Grupo Escolar de Mirante do Paranapanema ficou denominada ‘Professora Joana Costa Rocha’.

De acordo com a Res. S.E. no 19, de 23 publicada no D.O.E. em 24/01/76, o estabelecimento passou a denominar-se E.E.P.G. Professora Joana Costa Rocha.

Graças ao progresso e o interesse despertado pela fecundidade de suas terras, o Bairro do Palmital teve grande desenvolvimento, e seu número de classe aumentando anualmente chegando a 1968 com o total de 34 classes.

Por decreto de nº 40.1456 de 26/05/62, publicado a 27/05/62, o grupo de Mirante do Paranapanema passou a denominar-se profa. Joana Costa Rocha. Tendo como primeira professora Therezinha Antonio, primeira. Diretora também a professora Therezinha e como primeira servente, Lindaura de Oliveira Paula

 

JOANNA COSTA ROCHA - A PATRONESSE DA ESCOLA

Joana Costa Bravo, filha de Ângelo Costa Hernandes e de Maria Bravo Casto, nasceu em 23 de fevereiro de 1936, no município de Santo Anastácio, Estado de São Paulo.

Fez o Curso Primário na EEPG "Enrico Betoni" em Santo Anastácio.

Segundo quem a conheceu, era uma pessoa muito risonha, franca e que gostava de fazer novas amizades e muito ao trabalho e à família.

Como professora, o que mais o gostava era de alfabetizar.

Sua amigas de escola eram Heroína, Zenóbia, Ruth, Míriam e Paulo Shizuo.

Teve 3 irmãos e casou-se com 22 anos de idade em 05 de julho de 1958, com Daniel Francisco da Rocha, onde passou a chamar-se Joanna Costa Rocha. Teve como testemunha de casamento Isaac Melem (fazendeiro) e Francisco Tirado Aragon.

Teve somente um filho, aos 24 anos de idade, vindo a falecer no dia 18 de julho de 1960, uma hora após o parto.

REFORMA

 

Atualmente (2003), a EE Joana Costa Rocha passa por ampla e completa, o que vem restabelecer o seu formato original que era muito belo, acolhedor e funcional. A escola tem 425 alunos matriculados de 1ª a 4ª Séries e funciona com 22 docentes e 7 funcionários nos períodos da manhã e da tarde. Em suas dependências existe também uma Cozinha Piloto da Prefeitura Municipal, onde são preparadas merendas para seus alunos e de outras escolas.

EE "KOSUKE ENDO"

HISTÓRICO

 

 

- GINÁSIO ESTADUAL DE CUIABÁ PAULISTA

Criado em 31/12/1.970 pelo Decreto 52.579.

Instalado em 14/04/1.971.

 

- ESCOLA ESTADUAL DE PRIMEIRO GRAU "KOSUKE ENDO"

Unificada através da Resolução 19/76 de 24/01/1.976.

 

- ESCOLA ESTADUAL DE PRIMEIRO E SEGUNDO GRAU "KOSUKE ENDO"

Criação e Instalação do 2º Grau através da Resolução 34 de 28/02/1.986.

 

DENOMINAÇÃO ATUAL: E.E. "Kosuke Endo".

Endereço: Rua do Comércio s/nº - CEP 19.270-000 Fone 018-291-6131.

Localidade: Distrito de Cuiabá Paulista – Município de Mirante do Paranapanema.

Diretor de Escola: Teresa Cristina de Oliveira Vasconcelos.

Vice-Diretor : Lourdes Yoshiko Fugimoto Akashi.

Profº Coord. Pedagógico: Rosa Maria de Vasconcelos Ferrari.

Cursos: Educação Básica.

 

TOTAL DE ALUNOS:

 

Período da Manhã (5ª A, 6ª A, 7ª A, 8ª A -Ensino Fundamental; 1ª A -Ensino Médio)

Ensino Fundamental = 100 alunos

Ensino Médio = 19 alunos

TOTAL: = 119 alunos

 

Período da Tarde (1ª A, 2ª A, 3ª A, 4ª A, 4ª B – Ensino Fundamental).

Ensino Fundamental = 97 alunos

 

Período da Noite (8ª B – Ensino Fundamental; 1ª A, 2ª A, 3ª A – Ensino Médio).

Ensino Fundamental = 18 alunos

Ensino Médio = 70 alunos

TOTAL: 88 alunos

 

TOTAL GERAL DE ALUNOS: 304 alunos

 

EE. "JOSÉ QUIRINO CAVALCANTE"

 

Endereço: Rua Campos Sales, no. 1.659 - CEP. 19.260.000 - Caixa Postal No 250

Fone: (018) 291-1288 e 291-1057

Localidade: Mirante do Paranapanema - Município: Mirante do Paranapanema -SP.

Diretora: Leoni Joppert de Souza

Vice-Diretora: Thereza Lazara Maioli

 

A EE."JOSE QUIRINO CAVALCANTE", nesta de 2003 completa 44 anos de funcionamento onde formou os mais qualificados profissionais para atuarem nos mais diferentes setores da economia da sociedade brasileira e também para o exterior. Possui em seus quadros atualmente 454 no Ensino Fundamental; 443 no Ensino Médio e 63 na Suplência do TELECURSO 2000.

 

A CONSTITUIÇÃO LEGAL DA ESCOLA

 

A EE "JOSÉ QUIRINO CAVALCANTE" , foi fundada pela Lei nº 3.747, de 24 de janeiro de 1957, publicada no D.O. de 27 de janeiro de 1957, com o nome de Ginásio Estadual de Mirante do Paranapanema.

A instalação se deu dia 09 de janeiro de 1959, na Rua Getúlio Vargas, 41, tendo iniciado às aulas no dia 13 de março de 1958, sendo o seu primeiro Diretor o Sr. Tokio Shiraishi.

Pelo Decreto nº 51.407, de 21 de fevereiro de 1969, foi criado o Curso Colegial, autorizado, pelo Ato nº 55, de 28 de fevereiro de 1969, publicado no D.O. de 01 de março de 1969, e a Escola passou a se chamar Colégio Estadual e Escola Normal "José Quirino Cavalcante". Mas em virtude do Sr. José Quirino Cavalcante estar vivo nesta data, por lei ele não poderia ser homenageado, e o nome de Escola teve que ser mudado. Pelo Decreto de 27 de outubro de 1971, e publicado no D.O. do dia 28 do mesmo mês e ano, a Escola passou a se chamar Colégio Estadual "Maria Aparecida de Azeredo Passos", sendo introduzido o retrato da Patronesse no dia 25 de abril de 1972.

Pela Resolução SE. de 23 de janeiro de 1976, publicada no D.O. de 24 do mesmo mês e ano, a Escola passou a denominar-se EEPSG "MARIA APARECIDA DE AZEREDO PASSOS".

Pelo Decreto nº 7.928 de 14, publicado no D.O. de 15 de maio de 1976, a Escola novamente passou a denominar-se EEPSG "JOSÉ QUIRINO CAVALCANTE", em virtude do falecimento do mesmo, ocorrido no dia 06 de abril do mesmo ano. Foi introduzido o retrato do Patrono no dia 27 de junho de 1976.

O Curso de Habilitação Específica de 2º Grau para o Magistério, foi criado através da Resolução nº 11 da Secretaria da Educação, publicada no D.O. de 01 de fevereiro de 1978.

Foram os seguintes, os Diretores que sucessivamente prestaram serviço a essa Escola: Tokio Shiraishi , Lídio Dalefi, Paulo de Oliveira, Maria Lúcia Rodrigues de Almeida, Osmar Scucuglia, Rodolfo Horle, Ester Antunes Lourenço, Hercy Carmen Tiezzi, Aquemi Moriyama Canevari e Leoni Caivano Joppert de Souza Essa, atualmente, 1996, a Diretora, tendo como substituta a professora Gilvia Luci de Assencio Silva, que na realidade ocupa o cargo de Direção, em virtude do afastamento da professora Leoni estar - julho de 1996 - exercendo às funções de Supervisora de Ensino junto a Delegacia de Ensino de Mirante do Paranapanema. Entre os professores que já substituíram a Direção da Escola estão: Adilmar Alves de Oliveira e Hiroshi Matsura ( ambos aposentados ).

No local em que se acha instalada hoje, Rua Campos Sales, 1659, a Escola Estadual de Primeiro e Segundo Graus "JOSÉ QUIRINO CAVALCANTE", funciona desde 04 de abril de 1970.

A EEPSG "JOSÉ QUIRINO CAVALCANTE" se tornou "ESCOLA PADRÃO" em 04 de abril de 1993 e deixou se "PADRÃO" no início do ano letivo de 1996, em função da nova reorganização da Rede das Escolas públicas do Estado de São Paulo, implementada pelo governador Mário Covas.

A sua história demonstra que o ensino de qualidade passa pela competência da equipe de professores e pelos seus ideais.

A reorganização em 1996, a princípio trouxe muitas ansiedades, incertezas e desafios. Mas hoje podemos contemplar que o prédio e as condições funcionais do mesmo, constituem numa das mais belas obras de arte de nossa cidade.

O antigo prédio da EE."José Quirino Cavalcante" foi construído a 1960, e só veio a receber a primeira reforma 26 anos depois. No início era um cartão postal, mas com o tempo a bela estrutura foi dando lugar a uma aparência deplorável, principalmente na parte externa, além do problema da segurança, com sérios problemas na parte interna, infiltração de água quando chovia, que além de comprometer a parte elétrica, algumas salas de aula ficavam totalmente alagadas, sem quaisquer condições de uso, estragando assim o assoalho das classes e o mobiliário.

 

A TRISTE NOTÍCIA: O PRÉDIO ESTÁ CONDENADO!!!

 

Passado mais de um ano de reforma, ( se bem que a reforma mesmo já estava parada a mais de seis meses), veio a confirmação daquilo que muitos já temíamos desde o início da reforma: o prédio está condenado!!!. Há muito tempo que professores, Direção e funcionários da escola, estranhavam a fato da estrutura do prédio apresentar algumas fissuras e um aparente deslocamento para o leste, ou seja, para o lado dos banheiros dos alunos. Mas nunca imaginavam que isso poderia ser algum problema sério, a ponto de impossibilitar o seu funcionamento. Mas foi o que realmente aconteceu. A interdição do prédio teria que ser imediata, segundo a F.D.E. – Fundação para o Desenvolvimento da Educação, órgão ligado a Secretaria da Educação. A notificação chegou no início da semana e o prédio só poderia ser utilizado, no máximo até a sexta-feira próxima, dia 13/06/97, ou seja, até quatro dias depois.

 

VAMOS SALVAR O QUIRINO!!!

 

O grito de guerra ecoou da Diretora da Escola, Profa. Gilvia: vamos salvar o Quirino!!! A informação da condenação do prédio caiu como uma ducha de água fria em toda a comunidade escolar, principalmente sobre a Direção, professores e funcionários. Era o sonho que virava pesadelo. Ninguém poderia imaginar que aquele prédio, cartão postal da cidade em décadas passadas, com aquelas enormes listras pretas e vermelhas circundando toda a sua fachada externa estar na eminência de desaparecer de uma de um momento para o outro. Principalmente para aqueles que construíram sua história estudantil e profissional praticamente ali dentro, como é o caso da própria Diretora, Profa. Gilvia Luci Assêncio Silva e muitos outros professores remanescentes que ainda se encontram em plena atividade. Alguns ainda relembravam, com muita satisfação, cidadãos, hoje ilustres, que estudaram nesta escola: Edmar Fernandes de Oliveira, Procurador do Tesouro Nacional; Reinaldo Cheli, Procurador da Receita Estadual; Francisco Carlos Barreto, Engenheiro da empresa multinacional dos Arroyus Intel; Libório Nascimento, Promotor de Justiça. E tantos outros médicos, Advogados, Delegados de Polícia, professores universitários e da Rede Pública.

Não foi nada fácil encarar a realidade e imaginar aquele prédio demolido. Durante caminhadas pelos corredores e pátios da Escola podíamos contemplar no rosto de cada componente da escola um semblante triste que bem reproduzia uma profunda frustração. Muitos não podiam se quer conter as lágrimas. Nada podia diferenciar de um momento de uma perda que alguém muito querido da família.

Foram dias tremendamente constrangedores para todos os que ali tinham de conviver e trabalhar, ainda que fosse por apenas por mais alguns dias.

Vamos salvar o Quirino!!! Esse grito de guerra, levantado pela Dir. Gilvia, encontrou eco no ceio da população da Escola e na Comunidade mirantense. A mobilização começou a se formar a partir da Diretora e Assistente de Direção, Tereza Maioli, coordenadores pedagógicos, prof. Cícero Nobre e Sônia Solange e demais professores. Uma reunião com a comunidade foi marcada do Mirante Futebol Clube, e teve presença maciça dos pais dos alunos da escola, do Sr. Delegado de Ensino, prof. Sebastião Canevari e ainda de alguns vereadores da Câmara Municipal. Ali foi discutido toda a problemática vivida pela escola com a notícia da condenação do prédio da escola José Quirino Cavalcante. Pois apesar da Secretaria da Educação, através da F.D.E. – Fundação para o Desenvolvimento da Educação, garantir que um novo prédio será construído no mesmo local, é difícil acreditar, pois vivemos uma situação política muito insegura.

Passados alguns dias dessa reunião a Diretora Gílvia, juntamente com os professores: José de Carvalho Farias, Maria das Graças Lopes e a Assistente Administrativa da Escola, Lídia Cheli, partiram para São Paulo, onde estava na agenda uma reunião com os engenheiros e técnicos da F.D.E. Na volta trouxeram a promessa e a esperança de que realmente um novo prédio, moderno e confortável mesmo construído no local do que fora demolido. Puderam constatar também nos laudos dos peritos que recomendaram a demolição do prédio de que realmente ele corria risco de desabamento, pois suas colunas, que deveriam medir aproximadamente vinte metros de profundidade no solo não passavam de quatro e meio.

Uma nova reunião com a comunidade foi realizada no Mirante Futebol Clube. A Diretora da Escola, Profa. Gilvia relatou o que viram e ouviram em São Paulo, fez uma exposição de uma planta fornecida pela FDE, a qual podia ser a do futuro Quirino..

 

A PLANTA DEFINITIVA É MOSTRADA

 

No dia 17/12/97, ao final da cerimônia da entrega dos Formandos 1997 da escola, no Mirante Tênis Clube, a Diretora da EE "JOSÉ QUIRINO CAVALCANTE", professora Gílvia Luci Assêncio Silva, tomada ainda de uma grande emoção mostra publicamente, pela primeira vez, a planta definitiva do novo prédio, e anuncia também que no dia 29/12/97, encerram-se as inscrições das empresas que queiram concorrer a essa construção. A platéia presente aplaudiu de pé e com uma longa salva de palmas.

SEXTA-FEIRA DIA 13

Nada de superstição, mas foi exatamente no dia 13 de junho de 1997, Sexta-feira , que o EE "JOSÉ QUIRINO CAVALCANTE", funcionou pela última vez, em seu primeiro e majestoso prédio. Seus alunos, em número de 1260, passaram a estudar, provisoriamente, nas seguintes Escolas: EE "MARIA AZEREDO PASSOS", período da manhã e da tarde e na EE "JOANA COSTA ROCHA", do período noturno. A secretaria da Escola passou a funcionar uma parte no Azeredo e outra numa casa alugada do Sr. Lalá, que localizava-se na esquina da Rua João Augusto de Almeida com a Rua Joaquim Juca de Góis frente ao Rotary Club.

 

A CONSTRUÇÃO DO NOVO PRÉDIO

Em julho de 1988 o novo prédio da escola começa a ser construído pela Secretaria da Educação através da FDE – Fundação para o Desenvolvimento da Educação. Com o avanço tecnológico da indústria da construção em pouco mais de oito meses o prédio estava praticamente construído e veio a ser liberado para ocupação já no início de agosto de 1999. O material empregado no peso não foi o ideal e, apesar de sua beleza, em poucas semanas ele estava totalmente manchado pelas marcas das solas dos tênis e sapatos dos alunos, funcionários e professores. Mas todos gostaram do novo prédio, apesar de ser menor e menos suntuoso como foi a primeira construção. O prédio é muito funcional, apesar de menor, com dez salas de aula, quadra (que poderia ser coberta, mas infelizmente ainda não foi), laboratórios, casa de zelador interna, repartições específicas, como sala do professores, coordenadores, direção, secretaria, etc. Ao redor do prédio está sendo formado um belo jardim com muitas flores e também árvores. Em fim, um prédio moderno, muito seguro, inclusive contra incêndios e Ao redor Realmente foram dois anos de muito sacrifício, tanto para a direção da escola como também para funcionários, professores e alunos. O retorno era o que todo mundo sonhava. E para completar, a cobertura de quadra de esportes da escola, que constituía num remanescente sonho, acaba de ser concluída.

 

EE "ZHIZUO NISHIKAWA"

LOCALIZADA NO BAIRRO "NOVO PARAÍSO"

 

Projeto lei n.º 376, de 1984

Dá denominação e estabelecimento de ensino

A Assembléia Legislativa do Estado de São Paulo, decreta:

Artigo 1.º - Passa a denominar-se ‘Prof Shizuo Nishikawa’ a

Escola Estadual de 1.º Grau do Paraíso, em Mirante do Paranapanema.

Artigo 2.º - Esta lei entrará em vigor na data de sua publicação.

Justificativa

Pretende-se, com esse projeto, perpetuar a memória do Prof.

Shizuo Nishikawa a assegurar-lhe o reconhecimento da posteridade.

Damos, a seguir, um rápido esboço de seus dados bibliográficos:

Nasceu a 22 de outubro de 1933 em Kumamoto Kem, no Japão.

Filho do casal Sr. Zenkichi Nischikawa e Sra. Isutas Nichikawa, ambos japoneses, contava com seis irmãos.

Seus pais vieram, como imigrantes para o Brasil quando ele era ainda muito pequeno, tendo tido como seu primeiro trabalho a lavoura.

Shizuo demonstrava, desde muito cedo, seu entusiasmo pela vida escolar, mas dada a situação de seus pais na agricultura, bem como a necessidade de seu trabalho e interesse em conservá-lo no mesmo ramo, faltou-lhe condições e oportunidade para que pudesse realizar seus anseios de menino estudante.

Aos 10 anos de idade, com muita coragem e fé, ele deixa seu lar indo em busca de suas aspirações, iniciando assim, uma nova fase idealista, sobrevivendo através de um pequeno emprego para que pudesse estudar.

Na escola encontrou algumas dificuldades, pois os dez aos de convívio japonês teve influência em seu rendimento escolar, cujas atividades eram desenvolvidas através de um idioma completamente diverso.

Sempre trabalhou para se manter e assim concluiu os antigoS cursos: primário, ginasial e normal.

Após naturalizar-se brasileiro, em dezembro de 1957, é diplomado, com habilitação para o magistério primário do Estado de São Paulo, pela Escola Normal e Colégio Estadual "Antônio Marinho de Carvalho" da cidade Presidente Venceslau, tendo assim colhido o primeiro fruto de sua perseverança.

Shizuo, sem demora, inicia agora, com idealismo, sua carreira de mestre, a 18 de fevereiro de 1956, no município de Marabá Paulista, como professor substituto da Escola Masculina do Bairro Nova União, onde permaneceu até 30 de junho de 1957, quando perde a substituição.

Em 2 de setembro de 1957, como professor primário substituto, lecionou no município de Mirante do Paranapanema, nas seguintes escolas: Escola Masculina da Fazenda Santa Cruz, Escola Masculina Municipal do Bairro Santo Antônio, Escola Mista Municipal Castro Alves (no Patrimônio Encêmia) e Grupo Escolar de Mirante do Paranapanema.

Em 1970, efetivou-se como professor primário na Escola Masculina Martilândia Velha, Conforme Decreto de 5 de agosto de 1960.

Nesse mesmo ano, dado a seus dons artísticos e capacidade em desenhos geométricos, surgem, no campo de seus ideais, novos horizontes em sua carreira, sendo admitido, em 7 de março de 1960, como professor secundário na disciplina de desenho, na atual Escola Estadual de Primeiro e Segundo Graus "José Quirino Cavalcante" em Mirante do Paranapanema.

Porém, não abandona a escola primária, continuando sua atuação nos dois níveis, com acumulação de cargos.

Como professor primário, em virtude de remoção, prestou serviços nos anos de 1962 e 1963 na atual Escola Estadual de Primeiro Grau "Professora Zulenka Rapchan", no distrito de Costa, sempre no município de Mirante do Paranapanema.

No ano de 1964, após ter levado sua contribuição de educador a vários bairros dessa comunidade, é novamente removido para a atual Escola Estadual de Primeiro Grau " Professora Joana Costa Rocha" na sede, onde permaneceu até o final de sua existência.

Em 1962, contraiu núpcias com Yochico Josefina Takau, tendo o seu lar aprimorado com o nascimento de 2 filhos: Sandra Hayako Nishikawa e Paulo Shizuo Nishikawa.

Assim, de excelente filho e mestre, passa a ser também excelente esposo e pai.

Sua vida foi árdua luta, pois sua infância e adolescência o tornaram adulto muito cedo, através de sérias responsabilidades. Auxiliou muito na sobrevivência dos pais, na manutenção e formação dos irmãos e posteriormente, na dedicação, conforto, assistência e zelo total na construção de sua própria família, como marido e genitor devotado.

Sua luta incessante continua com maiores aspirações, galgando um aperfeiçoamento com a licenciatura plena em Pedagogia, no ano de 1978, pela Faculdade de Ciências , Letras e Educação de Presidente Prudente, onde cursou as habilitações: Administração Escola de 1º e 2º Graus e Ensino das Disciplinas e Atividades Práticas dos Cursos Normais.

Com grande alegria ele recebeu a merecida justiça pelo seu trabalho como professor II, através da estabilidade que a lei lhe conferiu e posteriormente o efetivou.

Mas, seu trabalho no magistério paulista não se resumiu apenas no campo da docência, pois sua capacidade e idoneidade, teve atuação nas seguintes áreas administrativas: foi diretor da antiga Escola Técnica de Comércio de Mirante do Paranapanema, auxiliar de diretor na atual Escola Estadual de Primeiro Grau "Professora Joana Costa Rocha" por mais de dez anos; respondeu por várias vezes pela direção da atual Escola Estadual de Primeiro e Segundo Graus "José Quirino Cavalcante", ocupou os cargos de Presidente e tesoureiro da A.P.M. (Associação de Pais e Mestres), tendo também grande atuação no campo educacional da colônia japonesa de Mirante do Paranapanema.

Seus méritos foram consagrados pelo povo mirantense, inclusive pelo Rotary Clube da cidade, através do troféu que lhe foi atribuído como "Mestre do Ano".

Shizuo Nishikawa marcou na história de Mirante do Paranapanema um símbolo de integridade moral, um exemplo de honestidade e perseverança, uma figura que transpôs barreiras com humildade, uma pessoa que se impunha e era respeitado pela sua dignidade humana e, acima de tudo, o companheiro, amigo e colega que inspirava confiança pelas suas atitudes discretas e peculiarmente formais.

No ano de 1980, desgastado pela sua luta, aspirando pela continuidade dos estudos de seus filhos e no auge da pretensão de atingir seus maiores objetivos, Shizuo Nishikawa é acometido de uma grave enfermidade, vindo a falecer em 4 de fevereiro de 1982.

Sua ausência deixou um vazio no coração de todos os mirantenses, principalmente nos meios escolares, mas seus exemplos perduram através das sementes que plantou, cujas árvores cresceram sadias e frondosas continuando a fornecer seus frutos e sombras no decorrer do dia a dia.

É, portanto, a derradeira homenagem que se presta ao Prof. Shizuo Nishikawa, imortalizando o seu nome e aproveitando o exemplo de sua vida.

Sala das Sessões, em 12-6-84

 

HISTÓRICO DA ESCOLA

 

A Escola RuraL do Bairro Novo Paraíso, em 1963 atendia alunos dos bairros desta localidade, de primeira à quarta série até o ano de 1979.

Em 1980, através do Decreto 14.925 de 09.04.80, publicado no D. O de 10.04.80, autoriza e instala o curso do ensino fundamental atendendo alunos de primeira à oitava série.

Através do Decreto n° 16.787, de 16 de março de l981, o Governo do Estado de São Paulo, autoriza a Fazenda do Estado a receber por doação da Prefeitura Municipal de Mirante do Paranapanema, terreno com benfeitorias, situado neste município, necessário a construção do prédio da EEPG. Bairro Paraíso, uma área de 48.400,00 m², processo 70.774/79, conforme D.O.E DE 17/03/81 PAGINA 3.

Através do Projeto de Lei 376/1984, Dá denominação a estabelecimento de ensino, a Assembléia Legislativa do Estado de São Paulo aprovou conforme Artigo 1° que a EEPG do Bairro Paraíso, em Mirante do Paranapanema. " passa a denominar-se "EEPG Shizuo Nishikawa".

Durante o ano de 1997 com a reorganização Resolução 37 de 24/04/1997, o Ciclo I passou para jurisdição da EEPSG Fazenda São Bento e o Ciclo II passou para a EEPSG Kosuke Endo, no ano seguinte "1998" o Ciclo I passou para gestão municipal e o Ciclo II voltou para a própria escola EEPG Shizuo Nishikawa.

No início de 1998 com a possibilidade do fechamento da unidade escolar devido a demanda reduzida de alunos, por se tratar de uma área de repulsão e grande extensão territorial de abrangência da escola, a comunidade local se mobilizou e realizaram uma grande reivindicação envolvendo Diretoria de Ensino e Promotoria Pública, com o objetivo da permanência da Escola no bairro, pois a escola mais próxima ficaria muito distante, as crianças teriam que percorrer grande percurso para estudar, promovendo assim o cansaço e a evasão; devido ao exposto, a Secretaria da Educação concordou com a permanência da escola no bairro.

Em 1999, com o Decreto 44.449 de 24/11/1999, foi realizada uma alteração na denominação das escolas estaduais, passando de EEPG para EE SHIZUO NISHIKAWA.

 

EE "ZULENKA RAPCHAN"

 

A EE Zulenka Rapchan, está localizada à Rua Dr. José da Costa Machado, nº 135, no Distrito de Costa Machado, Município de Mirante do Paranapanema, fone (0XX) 18 2911948.

Foi criada em 05 de agosto de 1.952, com o nome inicial de Escola Mista da Fazenda Costa Machado, destinou-se a atender alunos de 1ª a 4ª série.

Em 1.968 passou a ser Grupo Escolar Profª Zulenka Rapchan. Pela Resolução SE nº 19 de 23, publicado a 24/01/76, passou para EEPG Profª Zulenka Rapchan, para atender a clientela de 1ª a 8ª série e suplência de 1ª a 4ª série.

Foi transformada pela Resolução SE de 29, publicada a 30/03/85 em EEPSG. Profª Zulenka Rapchan, com autorização no termos da Resolução SE nº 98 de 22, publicado a 23/05/85.

Em 1.968 a Escola foi construída em um terreno de 6378,33 m2, sendo a área total da construção de 1.110,67 m2, distribuídas em um pavilhão, destinado ao setor administrativo, 06 salas de aulas, secretária, cozinha, banheiros de alunos, quadra de esporte e pátio coberto.

Em 1.987 a Escola foi ampliada, passando a área total de construção para 2.345 m2, mais um pavilhão com mais 06 salas de aulas, 1 laboratório, 1 sala de educação física, banheiros de educação física, lavanderia, parte administrativa e zeladoria.

Atualmente a escola ministra o Ciclo I e II do Ensino Fundamental e Ensino Médio, atendendo, assim, alunos de 1ª a 4ª série diurno, 5ª a 8ª série e Ensino Médio diurno e noturno, a partir do exercício de 1.999, em virtude da vigência da nova Lei de Diretrizes de Bases, passou a ser denominada Escola Estadual " Zulenka Rapchan", com horário de funcionamento das 07:00 às 23:00 horas.

 

A PATRONESSE: ZULENKA RAPCHAN

 

Filha de Francisco Rapchan e Carolina Mucha Rapchan, nasceu em Santo Anastácio, SP, aos 18 de março de 1.947.

Iniciou seu curso primário aos 7 anos de idade, no Grupo Escolar Enrico Bertoni, concluindo-o neste mesmo estabelecimento.

Em 1.958 presta vestibular para o curso ginasial, sendo aprovada.

Com grande facilidade de assimilação se formou em 1.962, nos cursos "Científico e Normal", pelo Ginásio Estadual e Escola Normal de Santo Anastácio, iniciando sua carreira de professora primária na Escola Mista de Emergência da Fazenda Ribeirão dos Índios, no decorrer do ano de 1.966.

Desejando prosseguir seus estudos, pretendia, em 1.967, transferir-se para São Paulo afim de preparar-se para o vestibular de Direito.

Trágico e adverso destino, porém, lhe era reservado: no dia 28 de novembro de 1.966, foi acatada por hediondo assassino e ex-sentenciado que, sem motivo justificável, roubou-lhe sua preciosa vida. Seus livros e pertences ficaram esparsos por onde o cruel assassino arrastou seu corpo martirizado, e, sua morte repercutiu além das fronteiras de nosso Estado.

No dia do seu sepultamento, foi decretado luto oficial na cidade de Santo Anastácio, tendo as repartições Públicas e o

comércio permanecido com suas portas fechadas, prestando assim, justa homenagem a aquela que desapareceu vitimada pela fria crueldade e pela estupidez de um daqueles adultos, a quem, com prejuízo de seu conforto e de sua própria segurança, tentou levar as luzes da civilização, da educação e da alfabetização

 

EE FAZENDA SÃO BENTO

 

HISTÓRICO

ANO DE 1 997:

A EEPG. Fazenda São Bento, criada conf. Dec. 40.824 de 10/05/96 (DO. de 11/05/96) e instalada conf. Res. SE-75 de 11/06/97 (DO. de 12/06/97), localiza-se no Bairro Engenheiro Veras, zona rural do município de Mirante do Paranapanema que fica a 23 quilômetros da sede do município.

A escola localiza-se em área de assentamentos e atende exclusivamente filhos de assentados que estudam o Ensino Fundamental e Médio, das seguintes áreas: King Meat, Canaã, São Bento, Haroldina, Santa Apolônia, Estrela D’ alva, Santa Clara, Antônio Conselheiro, Paulo Freire, Arco- Íris, Santana, Santa Cruz e Alvorada. A sua criação, deve-se ao empenho do Excelentíssimo Senhor Governador do Estado, Dr. Mário Covas, que efetuou uma visita “in locun” nas referidas áreas, definindo assim a construção desta Unidade Escolar em substituição as escolas emergências existentes.

A escola possui 4 (quatro) salas de aulas e apresenta-se defasada em sua estrutura física, devido a falta de espaço (salas de aulas e as demais dependências são muito pequenas) para atender esta clientela, não possui muro de fecho, pátio coberto, iluminação externa, biblioteca, banheiros independentes para os professores (só possui um), quadra de esportes, etc.

Houve necessidade da construção em caráter emergencial de um barracão de madeira com 3 salas de aulas, para atendimento da clientela até a construção definitiva das mesmas, que foi concluído ao final do 1º semestre.

No ano letivo de 97, frequentaram esta escola cerca de 375 (trezentos e setenta e cinco) alunos, como a mesma tem uma demanda crescente, para o ano de 98 frequentarão 437 alunos (matriculados) e, com o assentamento definitivo de todas estas famílias (700) prevê-se uma demandada de mais de 700 alunos.

Ao final do ano letivo de 97 aproveitando uma visita do Excelentíssimo Governador, solicitou-se além da ampliação do prédio o funcionamento do 2º grau, pois devido a distância para a sede do município, muitos alunos interrompem os estudos pela dificuldade de terem que trabalhar o dia inteiro na lavoura e estudar a noite, tendo para tanto que viajar cerca de 60 quilômetros em estradas municipais em péssimo estado de conservação.

ANO DE 1 998:

Neste ano houve uma demanda de 437 alunos.

A comunidade (Pais de alunos e Coordenadores de Educação das áreas dos assentamentos) pleitearam pessoalmente junto ao Excelentíssimo Governador, quando de sua visita em nosso município dia 29 de janeiro próximo passado, a ampliação do prédio escolar e a aquisição de computadores para as áreas administrativa e pedagógica da mesma. No momento a escola encontra-se à margem do sistema, tendo inclusive dificuldades no desenvolvimento das atividades administrativas que estão gradativamente sendo informatizadas e integradas; quanto à informatização da área pedagógica, acreditamos que todos os alunos devam ter acesso a esta área do conhecimento, pois não podem ser discriminados por serem filhos de assentados, ficando assim alijados da educação proporcionada pela própria Secretaria a rede escolar estadual em geral.

A comunidade tem grande esperança que esta Unidade Escolar possa atender seus filhos não só na educação formal, mas que após as ampliações e os atendimentos necessários, a mesma se torne o centro cultural e de lazer de toda a comunidade dos assentamentos, conforme promessa do Excelentíssimo Senhor Governador, Dr. Mário Covas.

No início do mês de março de 1 998, foi autorizada a criação de uma classe de 1ª série do Ensino Médio.

Neste semestre foi construído também o muro de fecho tipo alambrado, o que minorou os problemas existentes principalmente com as visitas indesejadas de estranhos durante as aulas do período noturno dando consequentemente maior segurança ao corpo docente e discente da escola.

Em meados de junho de 1 998, houve um encontro das coordenadoras de educação dos assentamentos com a Sra. Raquel Volpato ,Coordenadora de Ensino do Interior da Secretaria da Educação, na Oficina Pedagógica de Mirante do Paranapanema, ficando acertado no ato que a comissão de coordenadoras presidida pela Sra. Maria Nazaré da Silva, teria atendida parte a solicitação de ampliação do prédio escolar, com a construção de 4(quatro) salas de aulas e do pátio coberto em duas etapas sucessivas, com o repasse via APM de R$ 160.000,00 também em duas parcelas de R$ 80.000,00, sendo que o repasse de R$ 80.000,00 da segunda parcela só seria liberado após a conclusão das quatro salas de aulas. As obras da construção das 4 salas tiveram início em setembro e devido às chuvas houve atraso da obra tendo sua conclusão prevista para o ano de 99.

ANO DE 1 999:

A demanda deste ano foi de: 651(Seiscentos e Cinqüenta e Um) alunos.

Houve a conclusão das 4 (quatro) salas de aulas e banheiros no período de férias e as aulas deste ano iniciaram-se com 6 (seis) salas de aulas em alvenaria e a construção de uma cobertura tipo rabo de pato, para servir a merenda dos alunos emergencialmente até a construção definitiva do pátio para a alimentação.

Com a conclusão das 4 (quatro) salas de aula, a escola passou a ter 8 (oito) salas de aula de alvenaria e 3 (três) salas de aula de madeira; a demanda ficou distribuída da seguinte forma:

- período da manhã: 8 (oito)classes (1º à 6ª séries);

- período da tarde: 8 (oito) classes (1º à 6ª séries) e 2(duas) classes municipais (pré- escola e classe especial);

- período noturno: 7 (sete) classes (5ª à 8ª séries do Ensino Fundamental e 1ª e 2ª séries do Ensino Médio).

Neste ano, houve uma reunião com representantes da comunidade junto à Secretária da Educação, quando foram feitas as seguintes solicitações: construção de galpão para alimentação, quadra de esportes e mais salas de aula.

Projetos que estão sendo desenvolvidos: DST/AIDS, Feliz Idade na Escolaridade.

ANO DE 2000:

Neste ano a demanda foi de 704(setecentos e quatro) alunos da Rede Publica Estadual e 57 (cinqüenta e sete) alunos da Rede Pública Municipal (pré- escola e classe especial), assim distribuídos:

- período da manhã: 7 (sete) (classes (1º à 7ª séries);

- período da tarde: 9 (nove) classes da rede estadual (1º à 8ª séries do Ensino Fundamental e 1ª série do Ensino Médio) e 2 classes da Rede Municipal (pré- escola e classe espacial);- período noturno: 7 (sete) classes (5ª à 8ª séries do Ensino Fundamental e 1º , 2º e 3º séries do Ensino Médio).

Neste ano, houve uma visita dos representantes da comunidade junto à Secretária de Educação, quando foram feitas as seguintes reivindicações: construção de salas de aula, galpão para a alimentação, quadra de esportes; instalação de: sala de informática, biblioteca e laboratório.

Neste ano letivo foram desenvolvidos os seguintes projetos: DST/AIDS, Amigos da Escola, Comunidade Presente e Pontal Verde.

ANO DE 2001 :

Neste ano a demanda foi de 661(Seiscentos e Sessenta e Um) alunos da Rede Publica Estadual e 60 (Sessenta) alunos da Rede Pública Municipal (pré- escola e classe especial).

Foi construído um bloco com 6 (seis) salas de aula, via F.D.E.

Através de convênio com o ITESP (doação de material) e APM, iniciou – se a construção de: galpão para alimentação e quadra de esportes. Devido ao furto de parte dos materiais de construção do depósito do ITESP, as obras estão paralisadas na fase final de construção, aguardando a nova compra dos materiais pelo ITESP.

Foi feita a instalação da sala de informática com 5 (cinco) computadores.

Aguarda- se a instalação da biblioteca com acervo para o Ensino Médio e o laboratório.

A demanda deste ano tem a seguinte distribuição:

- período da manhã: 8 (oito) classes (1º à 4ª e 5ª à 8ª séries);

- período da tarde: 10 (dez) classes da rede estadual (1ºà 4ª e 5ª à 8ª séries do Ensino Fundamental e 1ª e 2ª séries do Ensino Médio) e 2 classes da Rede Municipal (pré- escola e classe especial);

- período noturno: 7 (sete) classes (5ª à 8ª séries do Ensino Fundamental e 1ª , 2ª e 3ª séries do Ensino Médio).

Neste ano estão sendo desenvolvidos os seguintes projetos: DST/AIDS, Comunidade Presente, Amigos da Escola e Pontal Verde.

 

ANO DE 2002 :

Nesse ano a demanda foi de 613(Seiscentos e treze ) alunos da Rede Publica Estadual e 54 (pré- escola e classe especial).

A demanda deste ano tem a seguinte distribuição:

- Período da manhã: 8 (oito) classes (2ª à 4ª e 5ª à 8ª séries);

- Período da tarde: 10 (dez) classes da rede estadual (1ºà 4ª e 5ª à 8ª séries do Ensino Fundamental e 1ª e 2ª séries do Ensino Médio) e 2 classes da Rede Municipal (pré- escola e classe especial);

- Período da noite: 6 (seis) classes (6ª à 8ª séries do Ensino Fundamental e 1ª , 2ª e 3ª séries do Ensino Médio).

Foi instalado a biblioteca, em uma antiga sala de aula.

Foram adquiridos mais 5 (cinco)computadores para a sala de informática.

Neste ano esta sendo desenvolvido os seguintes projetos: DST/AIDS, Comunidade Presente, Amigos da Escola e Pontal Verde.

ANO DE 2003 :

Neste ano a demanda foi de 607(Seiscentos e sete ) alunos da Rede Publica Estadual e 23 (pré- escola e ).

A demanda deste ano tem a seguinte distribuição:

- Período da manhã: 8 (oito) classes (2ª à 4ª e 5ª à 8ª séries);

- Período da tarde: 10 (dez) classes da rede estadual (1ºà 4ª e 5ª à 8ª séries do Ensino Fundamental e 1ª e 2ª séries do Ensino Médio) e 2 classes da Rede Municipal (pré- escola e classe especial);

- Período da noite: 6 (seis) classes (5ª,7ª e 8ª séries do Ensino Fundamental e 1ª , 2ª e 3ª séries do Ensino Médio).

Neste ano estão sendo desenvolvidos os seguintes projetos: DST/AIDS, Comunidade Presente, Amigos da Escola, Pontal Verde, Folclore, Hinos Pátrios e o programa Escola da Família.

 

HISTÓRIA DA ESCOLA MUNICIPAL DE MIRANTE DO PARANAPANEMA-SP

 

A Escola Municipal de Mirante do Paranapanema, instalada à Rua Getúlio Vargas n.º 764, em Mirante do Paranapanema, Estado de São Paulo, mantida pelo Poder Público Municipal de Mirante do Paranapanema e administrada pela Divisão Municipal de Educação.

CRIAÇÃO DA ESCOLA

Lei Municipal n.º 520 de 06 de abril de 1971, sob a denominação "Colégio Comercial Municipal" de Mirante do Paranapanema.

Portaria de Coordenador de Ensino Técnico de 12 de maio de 1972, publicado no DO de 13/5/72, reconhecido e concedido pela portaria CEE n.º 126 de 28 de maio de 1981, parecer 340/81.

Denominação alterada- Escola Municipal de 2º grau de Mirante do Paranapanema e, se referiu a Habilitação de Técnico em Contabilidade, novamente denominação alterada para Escola Municipal de 1º e 2º Graus Profª. Zenóbia Gregório Campelo Cabral, pelo processo CEE 150/86 e Parecer 402/91, para denominação de EMPSG. Profª. Zenóbia Gregório Campelo Cabral em 1998, novamente alteração E.M. Profª. Zenóbia Gregório Campelo Cabral.

 

DIRETORES QUE PASSARAM PELA ESCOLA

 

1.º Diretor: Hidenobu Maemura – 1972

2.º Diretor: Maria de Lourdes Vasconcelos - 1975

3.º Diretor: Leonildes Jacinta de Freitas Campos – 1977

4.º Diretor: Maria das Graças de Oliveira – 1983

5.º Diretor: Leonildes Jacinta de Freitas Campos – 1988

6.º Diretor: Cleuza Maria Santos Martins – 1990

 

ALTERAÇÕES DOS NOMES DA ESCOLA MUNICIPAL

 

1972: Colégio Comercial Municipal de Mirante do Paranapanema (criação do Curso Técnico em Contabilidade).

1977: Escola de 2.º grau Municipal Comercial de Mirante do Paranapanema.

1991: EMPSG. Profª. Zenóbia Gregório Campelo Cabral.

1998: EM. Profª. Zenóbia Gregório Campelo Cabral.

CURSOS OFERECIDOS:

 

I: Educação Infantil

II: Ensino Fundamental (Ciclo I)

III: Educação de Jovens e Adultos (Suplência I)

IV: Educação profissional (Curso Técnico em Contabilidade)

 

A Escola em 1998, deixa de oferecer Ensino Médio (Curso Técnico de Contabilidade).

OBS: A Escola abriga ainda a Biblioteca Pública Municipal Monteiro Lobato, NEAPA (Núcleo de Educação Ambiental Paranapanema) e Padaria Municipal.

Curso Normal Descentralizado, como Tutelar a Profª. Joana Garcia Lorenzetti.

 

NÚMEROS DE ALUNOS ANO EM 2003

 

Pré-escola:

 

EM. Prof ª. Zenóbia Gregório Campelo Cabral................99 alunos

EMEIF. De Cuiabá Paulista..............................................18 alunos

EMEIF. De Costa Machado..............................................68 alunos

EMEIF. Da Fazenda São Bento.........................................27 alunos

Creche Profª. Lúcia Vasconcelos Kasae............................105alunos

 

Ensino Fundamental:

 

EM. Profª. Zenóbia Gregório Campelo Cabral...................83 alunos

EMR. Do Bairro Paraíso.....................................................27 alunos

EMR. Do Bairro Santa Rosa...............................................28 alunos

Suplência..............................................................................19 alunos

Técnico em Contabilidade....................................................73 alunos

 

Total: 547 alunos.

 

 

NÚMEROS DE FUNCIONÁRIOS

 

01 diretor

01 vice-diretor

01 secretária

01 coordenador pedagógico

01 responsável pela Biblioteca Pública Municipal

01 padeiro

01 zelador

05 auxiliares de serviços

27 professores.

 

QUADRO DOS DOCENTES/ADMINISTRATIVOS

 

Diretor: Cleuza Maria Santos Martins

vice-diretor: Maria Aparecida Custódio Hazi

Secretária: Maria Aurivane Araújo de Vasconcelos

Coordenador Pedagógico: Aquemi Moriyama Canevari

 

Professores II:

 

José Vicente da Silva, Ana Nádia Menezes Dourado, Fábio Ferreira Morong, Gilvânia Almeida da Silva Miyazaki e Flávio Miyazaki.

 

Professores I:

 

Maria Aparecida Custódio Hazi, Maria Aparecida Vidal Madeira, Elisangêla Gomes de França, Silvana Pinto Gelako Santos, Rosa Maria da Costa Joaquim, Zenilde Góis Martins, Simone Barbosa Assis Amaral, Ivonete Ferreira Costa, Janete Socossiuc Souza, Lourdes Maria Santos Andrade, Sílvia Barreto, Sônia Cristina Lima Meredija, Liliana do Carmo Góis, Elizabete Menezes, Lúcia Aparecida Ferreira, Maria Lúcia Silva Lima, Cleide Batista de Oliveira. Andréa Aparecida Bezerra de Melo Santos, Maria Margarida Menezes de Castro , Ana Cristina Thomazin Carvalho de Farias, Lucila Mussa Góis, Terezinha Ferreira da Costa.

 

O COLÉGIO SOLUÇÃO

 

Fundado e autorizado no dia 25-12-1997.

Sua mantenedora e Diretora é a Professora Edineide Menezes.

Suas atividades escolares tiveram início dia 01 de fevereiro de 1998.

Devido a solicitação de um grupo de pais que procuraram a professora Edineide com o objetivo de que seus filhos tivessem uma educação baseada na construção de valores humanos, morais, sociais e uma boa qualidade de ensino surgiu o Colégio Solução.

O nome Solução foi dado pela professora Joana Lorenzetti.

Começamos com Educação Infantil e Ensino Fundamental, atualmente estamos também com o Ensino Médio e o Ensino Profissionalizante (Auxiliar e Técnico em Enfermagem, Técnico em Meio Ambiente).

O Colégio que foi instalado em uma casa alugada, atualmente é de propriedade própria e foram construídas 05 salas amplas. Estamos atualmente trabalhando em um projeto de ampliação do Colégio no qual demoliremos a casa com a finalidade de construir uma área com infra-estrutura adequada para nossos alunos.

Varias atividades culturais já foram realizadas pelos professores e alunos como Feira Cultural, Festa das Nações, Festas Juninas, viagens de lazer e culturais.

Temos como objetivo uma educação de qualidade, afinal é o que nossos filhos e alunos terão como patrimônio para sempre.

INSTITUTO EDUCACIONAL NOVA GERAÇÃO"

Endereço:..... Rua Getúlio Vargas , no. 963 - CEP. 19.260.000 - Fone: 291-1532

Localidade:.. Mirante do Paranapanema - Município: Mirante do Paranapanema

Diretora:....... Leni Ferreira Soares

A Escola foi fundada em 21 de setembro de 1995 publicada no diário Oficial de 09 de janeiro de 1996 pág. 17 seção " i "

A fundadora da escola foi Aldenir Alves Pereira Iassugue